Textos e Reportagens

 

Intimidade Exposta

Márcia Homem de Mello© Publicação ABRAPSMOL

 

Não é de agora que a curiosidade pela vida pessoal, particular e intimidade dos nossos vizinhos, amigos e até estranhos existe.

Saber se o que acontece na casa do outro é melhor ou pior do que na nossa própria casa, sempre foram motivos de fofocas, invasão, perseguição,... Há até os que se equipam de instrumentos como binóculo, luneta,... e até da época da vovó, o copo básico encostado na parede.

Por que será que as chamadas revistas de fofocas da vida dos artistas, vendem tanto?

Por que a vida deles parece ser mais fascinante?

Por que a casa do outro sempre parece melhor do que a nossa?

Por que os atuais programas de televisão que mostram pessoas em suas intimidades, no seu dia-a-dia, em situação de conflito, andam fazendo tanto sucesso?

Por que os sites na Internet que disponibilizam webcam aberta dentro de residências, mostrando passo a passo da vida de pessoas comuns, recebem milhões de visitas diárias?

Por que as salas de chat com webcam e voz, que propicia uma exposição maior da intimidade de seus usuários, estão virando moda?

Por que diários que antes tinham cadeados, escritas em códigos, hoje estão abertos na Internet com direito a receber palpites, críticas, apoio, ...?

Mudou o conceito de intimidade ou mudamos nós?

Se existe a exploração comercial da intimidade, é porque existem os que estão dispostos a expor-se em troca de alguma coisa.

Porém existem ainda pessoas que conseguem manter um certo grau de sua privacidade, intimidade, recorrendo a pseudônimos, anonimatos, etc.

Pode ser que no fundo tudo isso tenha como objetivo principal, o aprendizado. Saber como os outros fazem, tomar como parâmetro para si e definir se está certo, se não faria como o outro faz, se existem outras formas além das que conhece, se pode ou não ser melhor, se as angustias, dúvidas e problemas são parecidos, etc.

Ou seja, há alguma motivação, individual ou coletiva, de quem es expõe do outro lado de uma câmera, microfone ou computador (exibicionista, interesse profissional ou financeiro, testar limites, sedução,...). Bem como há motivação para os que desejam saber.

Até que ponto isso é bom ou não? A privacidade não é importante?

As respostas o próprio tempo dirá. O importante é que cada um consiga avaliar o quanto, e se esta, se prejudicando e se agredindo com essa exposição. E também que não se perca a própria referência para tomar como referência padrão, o outro.

Se a motivação compensa expor ou observar a intimidade, vale lembrar que, por mais que se seja ator, por mais consciência que tenha quem está sendo filmado, gravado, observado, ninguém consegue disfarçar, enganar, atuar, 24h por dia.

 

Diários: Blog www.blogger.com

Chat de Voz com Webcam: www.paltalk.com

 

Voltar para Trabalhos e Reportagens

Uma Conversa | 1º Atend. OnLine | Continuando Terapia | Psicoterapeuta | Consultório em Recife | Responsabilidades | Esclarecimentos | Chat | Psicodrama | TDA, TDAH ou DDA | Critérios de Avaliação do TDA-H | Textos | Mídia Links | Pesquisando sobre Terapia On-line? | E-Mail | Mapa do Site