Logo @njinh@Má®

Se alguma das Poesias lhe agradar, mande para as pessoas que você gostar, pelo seu e-mail, é só clicar no menu Arquivo do seu navegador, escolha Enviar e depois em Página por Correio Eletrônico. Ou através do seus programas de chat. Faça a sua homenagem em datas especiais, ou crie você um dia especial para homenagear.

Todos os textos dos poemas são de minha autoria, a cópia ou divulgação sem minha autorização, terá como conseqüência, procedimentos dentro das Leis de Direitos Autorais. Pois todos estão registrados. 

Violência

(Autoria: Márcia Homem de Mello)

Estamos num momento de vida em que respeitar o próximo, é um detalhe insignificante.

Medo é a palavra de ordem do ladrão e do roubado.

Existia uma certa ética de preservar os idosos, datas comemorativas, familiares,...

Hoje, tudo isso é usado a favor de um aumento da violência.

Não use armas, não use drogas, diga não a violência,... São frases que já cansaram.

Enquanto isso, o crime se organiza e

a sociedade cruza os braços no meio de tanta desorganização.

Os seqüestros cada vez mais aperfeiçoados,

deixam famílias órfãs ou traumatizadas, cada vez mais presas e mais amedrontadas.

É fácil ficar jogando a culpa nos outros, nos órgãos.

Assim se continua de braços cruzados, até que você seja a próxima vítima.

Vai ficar esperando que você ou alguém que você ame,

seja a vítima irrecuperável?

Se o crime está organizado, vamos nos organizar contra o crime.

Só não seja mais um a espalhar violência.

Precisamos de soluções e não de mais desorganização.

Meus pais, vítimas de um seqüestro relâmpago, tiraram lições e soluções,

pessoais e sociais, que já  foram encaminhadas e aprovadas.

Vamos dizer não, mas é ao MEDO e a INDIFERENÇA.

DICAS DE SEGURANÇA