Logo @njinh@Má®

Se alguma das Poesias lhe agradar, mande para as pessoas que você gostar, pelo seu e-mail, é só clicar no menu Arquivo do seu navegador, escolha Enviar e depois em Página por Correio Eletrônico. Ou através do seus programas de chat. Faça a sua homenagem em datas especiais, ou crie você um dia especial para homenagear.

Todos os textos dos poemas são de minha autoria, a cópia ou divulgação sem minha autorização, terá como conseqüência, procedimentos dentro das Leis de Direitos Autorais. Pois todos estão registrados. 

Uma Flor

(Autoria: Márcia Homem de Mello)

Um menino entrou para a escola em sua infância. Nela aprendeu muitas coisas, inclusive a desenhar. 

Nas aulas de desenho, sua professora, certa vez, lhe solicitou desenhar uma flor: - Quero que desenhem uma flor vermelha, de cabo verde, não muito grande, sem espinhos, com as pétalas já abrindo.

O menino assim o fez. Meses depois, a professora solicitou novamente um novo desenho de uma flor: - Hoje vocês devem desenhar uma flor amarela, com cabo longo, sem espinhos, em forma de botão.

O menino atendendo sua professora, fizera como ela solicitou. E assim se foram 3 anos da vida do menino, que por ser uma pequena escola, a professora lhe fora a mesma durante todo este período.

Mas o menino, precisou sair da escola, pois seu pai fora transferido. O menino ficou muito triste, pois perderia seus amigos e também a professora que lhe ensinou tudo que ele aprendera durante esses anos. 

Na nova escola, o menino já mais crescido, conheceu seus novos amigos e também sua nova professora. Foi aos poucos se ambientando. E chegou o dia da aula de desenho que ele tanto gostava. E nessa aula, a professora sem saber, pediu que o menino fizesse o desenho que ele mais gostava de fazer: - Meus queridos alunos, hoje queria ver vocês desenharem uma flor. E assim todas as crianças o fizeram. 

Mas o menino, não entregou seu desenho a professora. Ela percebendo que o menino se encontrava parado, foi até ele, e perguntou: - Por que você não fez seu desenho? Se desejar fazer outra coisa, pode fazer. - Não professora, não é isso. É que eu estou esperando a senhora dizer como quer que eu desenhe a flor. 

Moral da história: Essa história tem a moral que você desejar que tenha, não vou fazer como a primeira professora. Tire dela a lição de vida que você achar que ela te deu. Quem lhe ensinou as coisas que você sabe? Teve bons "professores"?