Logo @njinh@Má®

Se alguma das Poesias lhe agradar, mande para as pessoas que você gostar, pelo seu e-mail, é só clicar no menu Arquivo do seu navegador, escolha Enviar e depois em Página por Correio Eletrônico. Ou através do seus programas de chat. Faça a sua homenagem em datas especiais, ou crie você um dia especial para homenagear.

Todos os textos dos poemas são de minha autoria, a cópia ou divulgação sem minha autorização, terá como conseqüência, procedimentos dentro das Leis de Direitos Autorais. Pois todos estão registrados. 

Insegurança

(Autoria: Márcia Homem de Mello)

Afundei-me na incerteza da alma.

Isolei-me na penumbra do meu quarto.

Ocultei-me na criatura dos meus sonhos.

Fugi da verdade, me escondendo na mentira.

Já não podia andar com meus próprios pés.

Já não mais me escutava.

Já não confiava no chão por onde andava.

Já não acreditava nos meus olhos.

E fui ficando mais insegura.

E me ocultava de mim mesmo.

E fiquei mais dependente.

E fiquei sem vontade.

Acabei deixando de viver, porque não acreditava mais que havia vida.