DICAS DE PORTUGUÊS

 

Estas notas foram compiladas quando eu fazia o meu “cursinho” para direito e me são úteis até hoje.

Elas me foram transmitidas, há mais de 40 anos, pelo Professor Castelões, do Cursinho Castelões, a quem presto as minhas homenagens.

 

1 – NO: combinação da preposição arcaica En (do latim IN) com o artigo arcaico LO.

ENLO (por assimilação), ENNO (por simplificação ENO), (por aférese) NO.

 

2 – FONEMAS: É a expressão oral de um som. Sua representação por escrito é a LETRA.

2.1 – “A”: 1º ) Substantivo (modificado pelo artigo): O a é vogal.

2º) Artigo Definido (Quando determina o substantivo): A menina.

3º) Pronome Pessoal (ela, você, Sra): Admiro-a.

4º) Pronome Demonstrativo (isto, essa coisa, aquela): Minha caneta e a de Paulo.

5º) Verbo (faz, existe): 5 dias atrás; dias alegres.

6º) Preposição (para): Fui a Santos.

7º) Craseado (para a): Fui à cidade.

8º) Interjeição Admirativa: ah!

2.2 – “O”: 1º ) Substantivo (Quando - Determinado pelo artigo): O o é átono.

2º) Artigo Definido (Quando determina o substantivo): O rapaz.

3º) Pronome Pessoal (ele, você, Sr): Chamei-o.

4º) Pronome Demonstrativo (isto, esse, aquela coisa): Este é o carro de Luiz, não vejo o de José.

5º) Interjeição – Vocativa: ó Luís vem cá! – Admirativa: oh! Que pena!

 

3 – Note a expressão certa: Haja vista ao fato. Haja vista o fato.

ESTÁ ERRADO: Haja visto.

 

4 – Como o Adjetivo e o Advérbio têm função modificadora, às vezes é usado um em lugar do outro: Falar alto – altamente; Remar forte - fortemente.

Em Análise, sabe-se que um adjetivo está em função adverbial, quando pode ser substituído por ele sem mudança de sentido.

 

5 – Os Advérbios de Negação e a Partícula Apassivadora, na análise, são juntadas ao verbo, embora depois sejam analisadas à parte.

 

6 – E, OU, NEM.

Essas Conjunções só abrem oração, quando ligam dois verbos. Se ligarem dois “não verbos”, embora sejam conjunções, não abrem oração.

7 – E: é Preposição, quando liga dias palavras logicamente inseparáveis ou os elementos de uma locução .

Partícula é toda palavra pequena, em geral de uma só sílaba.

Expletiva é a palavra que, sem função lógica, apenas reforça o sentido da outra.

 

8 – SE:

1º) Substantivo (Quando modificado pelo Artigo): O se é átono.

2º) Pronome Pessoal Reflexivo (Quando indica que a ação praticada pelo sujeito, recai sobre ele): Ele se feriu.

3º) Pronome Pessoal Recíproco (Quando indica a ação verbal cai mutuamente sobre os sujeitos): Eles se abraçaram.

4º)  Pronome Indefinido (é Galicismo) (Quando é o sujeito do verbo; equivale a “alguém”, a “gente”): Aluga-se casas.

5º) Partícula Apassivadora (Quando o sujeito não pode exercer a idéia verbal, dá ao verbo ativo valor passivo) Não tem função lógica: Alugam-se casas. (Alugam-se = são alugadas)

6º) Partícula Expletiva e espontaneidade: Vai-se a primeira pomba

7º) Conjunção: Se puder, irei.

OBSERVAÇÃO: Para evitar o galicismo, em frases como essas, basta levar o verbo para o plural, se o primeiro nome posposto estiver no plural; deixa-lo no singular se o nome estiver no singular:  Aluga-se (singular) casa (sujeito/singular); Alugam-se (plural) casas (sujeito/plural).

Galicismo: Aluga-se (sujeito/singular) casas (objeto/plural).

 

9 – LOCUÇÃO:

10 – Toda Conjunção Coordenativa liga sempre funções iguais.

 

11 – O Verbo Transitivo Direto é o único que admite voz passiva pessoal (conjugada em todas as pessoas).

Entretanto, na Voz Passiva não há Objeto Direto, porque sua função sendo de paciente dá idéia verbal, na passiva ele vem como sujeito: Eu (sujeito/agente) estudo a lição (Obj. Direto/paciente);  A lição (sujeito/paciente) é estudada por mim (complemento/agente).

 

12 – Não pode haver oração sem verbo. Se ele não estiver na frase duas são as hipóteses: ou está oculto ou a frase continua mais adiante.

 

13 – COMO = Conjunção: * Conformativa – sem antecedente expresso

* Comparativa – com antecedente expresso

“Antecedente” quando na frase anterior vier um “assim”, “tão”, “tanto”.

 

14 – As orações Conformativas e Comparativas normalmente têm o Verbo oculto.

 

15 – ONDE: * Pronome Relativo

                        * Advérbio de Lugar (Quando. Interrogativo)

 

16 – Uma oração nunca pode começar por dois Conectivos Subordinativos.

 

17 – A Preposição que prescede o Pronome Relativo, pertence-lhe.

 

18 – A Oração Adjetiva subdivide-se em:

a) Restritiva, quando. atribui ao nome uma qualidade acidental, que pode existir ou não. Nesse caso não vem separada por vírgula: O rapaz  que chegou ( S.Adj.Restr.), é Pedro

b) Explicativa, quando. dá ao nome uma qualidade essencial; é como um simples aposto. Na boa pontuação é introduzida por vírgula: O leite, que é branco (S.Adj.Expl.), é bom alimento

 

19 – LOCUÇÕES VERBAIS

a)       Voz Passiva: Ser, Estar + Particípio Passado.

b)       Tempo Composto: Ter, Haver + Particípio Passado.

c)       Conjugação Perifrástica: “verbo auxiliar” + Infinito ou Gerúndio

Observações:

1ª) A Perifrástica indica um aspecto da idéia verbal: obrigação, dever, intenção, momento, começo, fim, possibilidade, etc.

2ª) A Perifrástica exige unidade de sujeito e unidade de ação: Quero (eu) ler (eu) = vontade de ler

3ª) A Perifrástica tem como verbo auxiliar um verbo chamado “Servil”; o principal chama-se “Regente”.

Para analisar é o “Servil” que indica pessoa, tempo e modo; e o “Regente” que dá a regência do verbo: Quero ler o livro = 1ª pessoa singular Presente do Indicativo de ler, em Conjugação Perifrástica.

Regência = Transitivo Direto (ler).

 

20 – Os verbos “haver” e “fazer” aparecem, às vezes, em expressões de tempo. Nesse caso não funcionam como verbo, mas como simples elemento da Locução Adverbial de Tempo.

* Ele saiu há pouco  -  Ele chegou faz tempo.

 

21 – Chama-se FACTITIVO o verbo que, pede para complemento outro verbo, em geral no infinito. Quando o sujeito desse infinito é representado por pronome pessoal, exige que esse pronome, apesar de sua função de sujeito, venha na forma de seu complemento. São FACTITIVOS -> deixar, fazer, mandar, sentir, ver, ouvir.

Ex.: Deixo-os (eles) falar; Sinto-vos (vós)  chegar.

 

22 – ANTÍTESE: é a figura de pensamento que expressa uma contraposição de idéias. Ex: Nunca tantos deveram tanto a tão poucos.

 

23 – SINCRETISMO: é a duplicidade de formas de uma palavra. Ex: louro – loiro; assobio – assovio.

 

24 – QUE:

1º) Substantivo – Quando modificado pelo artigo: Ele tem um que de simpático.

2º) Pronome Adjetivo Indefinido – Quando se refere a um substantivo: Veja que horas são.

3º) Pronome Adjetivo Interrogativo – Quando se refere a um substantivo, quando numa pergunta: Que horas são?

4º) Pronome Relativo - “o qual”; não tem substantivo modificado posposto: O rapaz que chegou, é Luiz.

5º) Pronome Interrogativo - ”que coisa”; não tem substantivo modificado posposto, e está numa pergunta: Que há?

6º) Advérbio - “Quão”; modifica adjetivo sem substantivo: Que bonita!

7º) Preposição - “de”: Tenho que estudar.

8º) Interjeição - “como!”: Que! Não sabias?

9º) Conjunção: Digo que entendi.

10º) Partícula Expletiva de Ênfase: Que saudade que eu tenho!

11º) Locução Expletiva de Ênfase - “é que”: Ele é que tem razão.  É com este que eu vou.

 

25 – NOTE

25.1 - PORQUE – uma só palavra – Quando Conjunção Causal, Quando nas Repostas.

25.2 - POR QUE – duas palavras – Por qual motivo. Por qual razão.

a – Quando Pronome Interrogativo, nas perguntas.

b – Quando Pronome Indefinido, tanto nas afirmativas quanto nas interrogativas.

Ex.: Por que (por qual razão) não vieste? Porque não pude.

Não sei por que (por qual motivo) demoraste

Não vieste por que? (última palavra)

25.3 – Consentir – algo: deixar, permitir (embora não concordando)

- em algo: estar de acordo.

25.4 – Cessão: doação

Secção, seção: divisão, repartição

Sessão: continuação

Secessão: separação

25.5 – APERCEBER – Transitivo Direto: divisar ao longe

- Verbo Pronominal: arrumar-se

25.6 – PERCEBER – Transitivo Direto: ver, notar.

25.7 -    TODO DIA: qualquer dia – Pronome Quantitativo

TODO O DIA: inteiro – Adjetivo Qualificativo

O DIA TODO: inteiro – Adjetivo Qualificativo

No Plural SÓ: TODOS OS DIAS;  OS DIAS TODOS.

25.8 – SÓ: * Adjetivo Qualificativo - Sozinho

* Advérbio de Exclusão: somente, apenas.

25.9 – POIS: * Conjunção Coordenativa Continuativa - inicio da oração = “ora”

* Conjunção Coordenativa Conclusiva - intercalada da oração = “portanto”

* Conjunção Subordinativa Causal - inicio da oração = “porque”

25.10 – TAMBÉM: * Conjunção Coordenativa Aditiva - inicio da oração = “e”

* Advérbio de Tempo - intercalado na oração = “ainda”

25.11 – GIRIA – é a maneira peculiar de expressão das diversas classes sociais. Por isso só é condenável; quando usada fora do grupo ou quando possui sentido grosseiro (calão).

 

26 – ECO: é o vicio de linguagem que consiste na repetição desagradável de fonemas iguais. Ex: Documento de consentimento de casamento.

 

27 - SINAIS DE PONTUAÇÃO: Virgula, Ponto e Virgula, Dois Pontos, Ponto Final, Reticências, Parênteses, Travessão, Aspas.

 

28 – CRASE – é a fusão de dois sons fracos iguais num único forte. Na Gramática expositiva a crase dá-se apenas na vogal “a”.

Na prática sabe-se quando crasear, quando for possível substitui-la pelas contrações: da, na, pela, para a.

CRASE – é o fenômeno da fusão;

CRASEADA – é a palavra que sofreu  o fenômeno;

ACENTO GRAVE – é o sinal indicativo do craseamento.

 

29 – SINTAXE FIGURADA DE REGÊNCIA

* ANACOLUTO – é a figura de regência que consiste em deixar uma palavra como solta, ou uma oração, por falta de seu conectivo. Ex: Vê-lo-ei (no) sábado ; Estou certo (de) que entendeste

* ELIPSE - é a figura de regência que consiste em subentender palavras facilmente notadas.

* ZEUGMA - é Elipse de palavras já citadas. Ex.: Vais (tu = Elipse) ao cinema!; Sim (vou = Elipse) (ao cinema = Zeugma)

* PLEONASMO – é a redundância de palavras para expressar uma idéia. Será figura, se der ênfase ao pensamento; vicio, em caso contrario. Ex: Vi claramente visto o lume vivo.

* IDIOMATIA ou IDIOTISMO – é a palavra, expressão ou construção própria de uma língua. Ex: “Saudade”, como vocábulo que foi criado pelo Príncipe Duarte. “Haver”, com o sentido de “existir” .

 

Inicial | Advogado e Calc. Trabalhista | Advogados Associados | Psicoterapia OnLine | Recursos Humanos | Poesias OnLine | Jogos/Downloads/MP3 | Estrela da Manhã | Noite Inusitada | Homenagem ao Maior Amigo | Dicas de Português | Tour e Folclore de PE | Brasil: São Paulo até Recife | 1ª Viagem Internacional | Europa: Espanha até Portugal | Europa I: 25 dias de Motorhome | Europa II: Espanha - Portugal | 19 dias de Trem pela Espanha | Guia e dicas de Viagens | Família Homem de Mello | História do Homem de Mello | Genealogia Homem de Mello | Genealog. Mario Homem de Mello | Destaques na Família | Contatos Homem Mello | E-mail